Etiquetas

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

FELIZ ANO NOVO


O RANKING DO BLOG

Aproxima-se o fim do ano. É tempo de fazer um balanço de forma a encontrar resposta às questões:
Quem me visita?
Quais as publicações mais lidas?
De forma a responder à segunda questão, a partir de hoje, podem consultar as publicações mais lidas desde o início do Blog na barra à direita.
Como resposta à primeira questão basta consultar a estatística do próprio blog aqui publicada.
Fica assim satisfeita a vossa e a minha curiosidade além de me permitir fazer uma ideia mais concreta do tipo de publicações que mais agradam a quem aqui me visita.

domingo, 29 de dezembro de 2013

ALELUIA! O NATAL ACABOU!

A véspera de Natal chegou no meio de muita azáfama por parte das mulheres cá de casa atarefadas a preparar todas aquelas gulodices próprias da consoada. Felizmente fomos precavidos e poupámo-nos à correria da compra de presentes à última da hora. Os presentes para o neto e familiares mais próximos, foram adquiridos com meses de antecedência. Costumo avisar sempre que não quero presentes. Prefiro comprá-los ao longo do ano de acordo com as minhas necessidades e gosto pessoal… Mesmo assim, tive de presente uma camisola oferecida pela filha e uma camisa que o meu filho trouxe de França.
Num instante, anoiteceu e foi chegada a hora da consoada. A família, cada vez em menor número, instalou-se à mesa (posta por mim) e a ceia decorreu basicamente conforme a tradição, comendo, conversando e, por fim, a inevitável troca de presentes. Tão de repente como começou, o Natal acabou… Foi mais uma noite passada essencialmente à mesa com a diferença da presença do meu filho que mais uma vez veio de Paris passar a quadra festiva com a família. Decididamente, o Natal já não é o que era. Mesmo a troca de presentes perdeu aquele encanto do passado. Já não me reporto ao Natal da minha infância. Basta comparar com o Natal da época em que os meus filhos eram crianças. Os presentes eram colocados junto da árvore de natal depois de eles terem adormecido e só na manhã do dia 25 corriam para a sala e eram surpreendidos com a presença dos presentes. Este Natal, como sempre, o Miguel teve montes de presentes. Apareceram à porta depois do jantar… pensámos que o Pai Natal os deixou ali com vergonha de entrar…
Com o amanhecer do dia de Natal chega aquela onda de nostalgia à medida que se desvanece toda a euforia gerada na alegria da consoada e assalta-me também a saudade daqueles que já cá não estão, cuja ausência se faz sentir mais profundamente bem como a saudade de outros natais…
Tão depressa como chegou, o Natal já lá vai, aleluia… Não é intrinsecamente o Natal que me desagrada mas o caos que se instala por todo o lado: são os engarrafamentos, a impaciência dos condutores presos no trânsito, os estacionamentos superlotados dos shoppings, supermercados, ruas e centros comerciais apinhados de gente numa correria desenfreada quais baratas tontas no afã consumista da compra de presentes…

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

AS FÉRIAS DE NATAL

As férias de Natal são quase sempre uma dor de cabeça para os pais, principalmente para aqueles que não têm a quem deixar os filhos. Na ausência de uma retaguarda de apoio ao nível familiar, quase sempre dada pelos avós, há apenas o recurso aos ATL’s o que implica um gasto suplementar no orçamento familiar. Não é o caso dos pais do Miguel que desde a semana passada tem passado os dias em nossa casa. Esta nossa disponibilidade como avós, paga-se caro em termos de paciência, exaustão física e, às vezes, também mental. Nem sempre é fácil manter uma criança ocupada durante um dia inteiro e colaborar nas suas brincadeiras mesmo quando não há a mínima disposição para tal… Finalmente compreendo aquele desabafo dos pais, que me tirava do sério enquanto professor no activo, em época de férias; “a escola faz muita falta!”. Nesse tempo, indignava-me o facto de os pais pensarem na escola em termos de depósito das crianças… Depois de um dia a jogar, fazer construções de legos, correr atrás da criança, dar o almoço e o lanche, colmatar algumas perrices, brincar às escondidas… dou por mim a pensar: a escola faz muita falta!

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

O REGRESSO DO EMIGRANTE

Em plena época natalícia dá-se o regresso dos emigrantes ao nosso país um pouco por toda a parte. Na grande maioria dos casos, não é um regresso definitivo. Trata-se apenas de passar a quadra festiva (Natal e passagem de ano) em família. Quem se desloca nesta altura aos aeroportos quer seja para receber algum familiar ou por qualquer outro motivo, pode constatar que o perfil do emigrante actual é totalmente diferente daqueles das décadas de 60-80. Trata-se na sua maioria de jovens altamente qualificados. Deste grupo, faz parte também o meu filho, formado em arquitectura pela universidade do Porto, uma das mais prestigiadas do nosso país. É este o motivo que nos últimos anos me tem feito deslocar ao aeroporto Sá Carneiro nesta época de Natal. Faz-me pena ver esta juventude, forçada a sair do país (muitos não voltarão) à procura de meios de subsistência (leia-se emprego) que não encontram em terras lusitanas…
Que tempos são estes? Só não vê quem não quer ver ou anda mal informado, as causas que levaram este país (e outros) a esta triste situação…

domingo, 22 de dezembro de 2013

PORTAR-SE BEM...

“Porta-te bem senão o Pai Natal não te traz prendas; Não faças asneiras senão o Jesus não te dá presentes. Estas são algumas das frases que cansei de ouvir e, quando pensei já estarem esquecidas, perdidas algures ao longo do meu percurso de vida, eis que elas ressurgem agora pela boca da minha filha dirigidas ao Miguel. Quase me dá vontade de desmentir tais clichés não fora beliscar a já tão debilitada autoridade maternal… Francamente, portar-se bem nesta idade! E para quando portar-se mal?! Aliás, em que consiste a diferença entre portar-se bem ou portar-se mal?
O que para uns significa um bom comportamento, pode ser considerado mau para outros. Cada um tem o seu próprio conceito de comportamento aceitável e não dá para generalizar. O mal de qualquer comportamento está na ausência de valores cívicos e morais fundamentais e em não se valorizarem nem respeitarem os valores de cada indivíduo.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

ENGARRAFAMENTOS DE TRÂNSITO DE NATAL

Existem muitas e variadas razões para não gostar do natal, assim como da páscoa, dia dos namorados e outros dias comemorativos, … Todos esses “dias” que implicam troca de prendas, corrida aos shoppings, acabam por perder o seu carácter festivo devido aos engarrafamentos de trânsito que provocam … Só por esse motivo já era suficiente para detestar estas datas embora reconheça que o problema não reside nas festividades mas na eterna mania do ser humano em deixar tudo para a última hora. É esta corrida aos centros comerciais ao fim do dia e quase em cima da data a celebrar que provoca os benditos engarrafamentos com prejuízo de quem se pretende deslocar em trabalho ou nas suas rotinas diárias…
Todo este azedume resulta de ter sido apanhado por um engarrafamento de trânsito à saída do ginásio às nove horas da noite…! A essa hora era suposto encontrar as ruas quase desertas de modo a chegar a casa em 10 minutos sendo que hoje levei 30 minutos para fazer o mesmo percurso… Mas em chegando o dia 24, na hora de abrir os presentes e ao contemplar o semblante de deslumbramento e surpresa do Miguel, sei que me vou reconciliar com o espírito de Natal.
E tudo voltará ao normal, graças a Deus…! Até ao próximo dia comemorativo dei lá de quê…

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

COMPRAS NATALÍCIAS

Começa a loucura da compra das prendas de Natal. Nestas alturas, nem parece que vivemos num país em plena crise económica com uma elevada taxa de desemprego…
Por sistema, começamos em Outubro a comprar as prendas a oferecer aos familiares e aos amigos mais próximos de acordo com o que vamos vendo e mais se adequa a cada um deles. Detesto integrar essa horda de compradores de última hora bem como frequentar os shoppings nas épocas festivas. Com o início das férias escolares e a corrida às compras, os shoppings começam a ficar superlotados o que, diga-se em abono dos que trabalham, dificulta sobremaneira quem a ele recorre para almoçar. Confesso que, contra o que é meu hábito, este ano serei um dos que contribuem para “entupir” um dos shoppings da nossa cidade… Tudo por que assumi ficar com o meu neto durante as férias… Principalmente nos dias de chuva como hoje, recorro ao shopping para distrair o pequenote e dar-me algum descanso (como se isso fosse possível!).

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

SÓ A CHUVA COMPARECEU...

Há dias em que convites, e-mails e visitas de amigos e familiares “chovem” em catadupa a tal ponto que nos deixam algo stressados com a preocupação de responder a todos sem melindrar ninguém. Outros dias há, em que o mundo parece ter parado tal é o silêncio. Lá fora não se ouve o ruido do trânsito e cá dentro, a TV desligada deixa a casa mergulhada num silêncio profundo… Há dias em que o silêncio é útil para “arrumar” ideias no “local” próprio… mas também há dias e dias…!
Hoje é um daqueles dias em que, para além da chuva, também se faz presente a tristeza da ausência daqueles que jamais estiveram tão presentes…
Há dias assim…

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

ILUMINAÇÕES NATALÍCIAS

Não deixa de ser desconcertante passar o fim de semana na casa da praia em pleno outono (que mais parece inverno). Ver as bases dos guarda-sóis no terraço, os próprios guarda-sóis, espreguiçadeiras, mesa e cadeiras metálicas de exterior, guardados na garagem, reporta-me aos dias de verão que o frio intenso que se fazia sentir afastou célere do pensamento. Apesar do frio que estava lá fora (a casa estava quentinha com o aquecimento ligado) foi um fim de semana agradável passado em família. No sábado, depois do jantar em casa, fomos ver a iluminação de Natal no centro de Esposende. O Miguel adorou ver a majestosa árvore de natal iluminada em pleno centro e a iluminação natalícia da rua 1.º de Dezembro.
Fica a sugestão para uma visita a esta bonita e calma cidade nortenha sempre muito animada com um basto calendário de diversos eventos.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

OS ILUSTRES DESCONHECIDOS

O “silêncio” que faço aqui em certos dias não significa ausência de tema ou que, por qualquer razão física ou emocional, tenha parado de pensar… O facto de, durante um ou mais dias, não publicar nada de novo isso significa “casa cheia” ou seja, a presença de um ou mais familiares cá por casa… Como já referi, para mim, escrever é um acto solitário. Preciso de silêncio e da solidão das minhas manhãs para escrever.
Por essa razão é que só hoje tive oportunidade de comentar a aterragem de emergência do avião da companhia aérea portuguesa TAP Airbus A330-202. Esta aterragem seria mais uma das muitas deste avião e não teria honras de notícia não fora o facto de ter sido realizada sob péssimas condições climatéricas no aeroporto de Gander – Canadá, que se encontrava coberto de uma densa camada de neve. Esta aterragem de emergência foi por motivo de um passageiro ter sofrido um AVC.
Como se pode comprovar através do vídeo, só a grande perícia e sangue frio dos pilotos tornou possível esta aterragem digna dos maiores elogios e que permitiu socorrer o referido passageiro. A aterragem em si foi bastante noticiada contudo, o nome dos pilotos que a realizaram de forma exemplar, permaneceu no anonimato. Presto aqui as minhas homenagens a estes excelentes profissionais e um grande abraço a estes excelentes pilotos.
Por este e por outros motivos, prefiro sempre que possível, viajar nos voos TAP.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

ENCRUZILHADA

Imagem da Internet

Em cada encruzilhada da vida
 eu me interrogo: qual o melhor caminho?
E sigo sempre aquele que me leva…
a nova encruzilhada…!
Jorge Leal

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

OS GRUNHOS DO GYM - PARTE II

Já deu para ver que os ginásios são o ambiente propício onde pululam aqueles seres do tipo grunhus lusitanus. Por qualquer razão que desconheço, nestes indivíduos, quanto mais aumenta a massa muscular, mais diminui a inteligência... O problema é que, com o aumento da massa muscular, também aumenta o ego na mesma ou em maior proporção… Estes tipos não enxergam mais nada a não ser a eles próprios. De certo modo este comportamento justifica-se pelo tempo que gastam todos os dias para conseguir aqueles corpos musculados… Não lhes sobra mais tempo para dedicar ao desenvolvimento de outras qualidades como saber falar, saber estar, hábitos de leitura, enfim… cultura geral.
Perante as razões que descrevi, não devia surpreender a algazarra do trio maravilha que descrevi num post anterior, o grunho que entra no banho turco e com o maior à vontade faz aquele ruído característico de quem aspira as mucosidades nasais e escarra para o chão,… e outros comportamentos sui generis que me abstenho aqui de relatar… Por conhecer estes comportamentos peculiares do tipo grunhus lusitanus, não devia ter ficado surpreendido e muito menos indignado por um desses grunhos me ter roubado a toalha de banho que abandonei juntamente com o gel de banho numa estante destinada a esse fim à entrada dos balneários enquanto estava no banho turco. Embora o grunho tivesse abandonado a toalha nos vestiários depois de se ter enxugado a ela, não invalida que não se trate de um furto… É a lei do desenrascanço que vigora em certos guetos da nossa cidade… Nem sei por que fiquei indignado, tudo é de esperar desta espécie sub-humana - grunhus lusitanus.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

DIA AZIAGO


Ainda não é sexta-feira (esta semana até é dia 13) e já o azar me bate à porta… Começou logo pela manhã por ser um daqueles dias em que já acordo já cansado. Todo o meu ser reclamava descanso e se recusava a despertar. Os olhos custavam a abrir e as pernas entorpecidas forçaram-me a uma marcha cambaleante até à casa de banho. Apesar de todos os entraves, lá consegui ficar “pronto” às 8 horas, hora em que o Miguel nos bate à porta para que eu o transporte à escola. Depois de uma “luta” inglória para que ele não levasse a cadela de peluche até à escola (acabou mesmo por levar), esqueci a mochila do Miguel atrás da porta. Só quando cheguei à escola verifiquei o esquecimento. Nessa altura já a minha mulher estava à espera à porta da garagem onde foi levar o carro para a revisão. Deixei o Miguel na escola e voltei a casa para apanhar a mochila. Como hoje é um dia aziago, apanhei à minha frente uma carrinha a cair de podre à velocidade de vinte à hora e pelo menos três semáforos passaram a vermelho justamente quando ia a passar. A viagem de regresso à escola foi mais rápida e lá deixei a mochila do pequenito. Fui obrigado a estacionar longe da porta da escola o que me obrigou a uma marcha acelerada de mais de cem metros a uma temperatura de 3ºC numa rua coberta por uma forte camada de geada branquinha… Uma “corrida” a esta temperatura é o ideal para um cardíaco…
Após esta "saudável" corrida matinal, dirijo-me então à garagem Desta vez os semáforos estavam desligados o que dificultou a entrada numa via de trânsito intenso como é a Circunvalação. Mais um azar… Apanho imenso trânsito até chegar à garagem o que se pode considerar normal em hora de ponta. Porque será que há dias em o azar nos persegue de manhã à noite?
Há dias assim...

sábado, 7 de dezembro de 2013

COCÓS DE CÃO

Quero que fique desde já bem claro que nada tenho contra os cães, exceptuando os doberman, rottweiler, pitbuls… sendo estes, muitas vezes, o reflexo dos próprios donos… Já tive um cão, um rafeiro, bastante mimado por toda a família e que nos deixou muita saudade. Por isso, sei por experiência própria que um cão tem necessidade do seu passeio higiénico diário não sendo possível controlar o local onde escolhe para fazer as suas necessidades fisiológicas. No condomínio onde moro, dispomos de um espaço destinado às necessidades fisiológicas dos cães daí que nunca tivesse o problema de recolher os cocós a não ser quando ele se lembrava de fazer as suas necessidades fora desse local próprio. Nesse caso, íamos munidos de um saco plástico destinado a recolher os cocós, o que nem todos os condóminos fazem…
Em várias cidades europeias que visitei, vi que quando alguém passeia o seu cão, leva junto à trela um saco de plástico. Apesar de as leis nesses países serem bastante severas, esse cuidado tem mais a ver com o civismo das pessoas. Infelizmente no nosso país apesar da existência da lei que penaliza quem conspurca a via pública com cocó de cão, a atitude das pessoas que não os recolhem traduz o civismo (ou a falta dele) de alguns dos donos de cães. Sempre que vou ao café da esquina e muitas vezes acompanhado do meu neto, temos que estar atentos aos cocós espalhados pelo passeio do cão de alguém que, embora não resida na nossa rua, a elegeu para passear o cão. E não se pense que se trata de pessoa de pouca cultura (o que por si só poderia ser uma atenuante) mas, segundo me consta, trata-se de uma senhora que até é professora…. Donde se prova que não é uma questão de legislação (ela existe) mas mais de uma mudança de mentalidade de quem tem cão… e não só!

MUDANÇA DE VISUAL

Os anos vão passando e, quando a auto-estima é baixa, o aspecto físico vai-se degradando para além do que é normal… o cabelo cresce indisciplinado, veste-se qualquer peça de roupa e passa-se a ter aquele aspecto desleixado que reflecte todo um estado de alma…
A conselho de um grande amigo (a quem muito devo e que muito contribuiu para o meu visual actual), cortei o cabelo (pente dois), rapei o bigode, passei a ter mais gosto na aquisição das peças de roupa. A contribuição dessa amizade não se ficou só pelo lado material mas sobretudo, fez com que a minha auto-estima se projectasse lá para o alto… Esse foi o contributo mais importante e por isso, lhe estou eternamente grato.
Logo após esta minha mudança de visual, deu-se um episódio caricato por parte de um casal que frequenta o café da minha rua. Reparei que a cara-metade do tal casal, já entradote, me observava e segredava para o marido qualquer coisa que, pelo semblante contrariado do marido, não estava nada entusiasmado. Passados poucos dias, o indivíduo apareceu com o cabelo cortado com máquina dois exibindo uma careca reluzente… Diga-se, sem falsa modéstia, que esteticamente nada beneficiou dessa mudança de visual continuando a aparentar o ar de cota que sempre teve…
Como não é minha intenção competir com ninguém, continuo a seleccionar aquilo que penso que me fica bem sem seguir modas nem imitar ninguém. Na verdade, hoje a minha competição é comigo mesmo, em constante tentativa de atenuar os estragos causados pela passagem do tempo. Conselhos, continuo a aceitar já que foi graças a eles que alterei para bem melhor o meu visual. Basta comparar esta foto com a minha foto actual… Muito melhor, não acham?

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

A SAGA DOS CARTÕES SIM DA ZON CONTINUA

Como já expliquei, fui “obrigado” a mudar o cartão SIM do meu telemóvel para um 4G o que implicou mudar também de aparelho. Como sou cliente da ZON fui encaminhado para a optimus tendo em vista a aquisição de outro telemóvel. Até aqui tudo muito bem. Fui atendido de forma atenciosa e tudo me foi explicado minuciosamente. O problema está no serviço da optimus. Como o aparelho foi comprado nesta operadora, fiquei a ser cliente optimus. A cobertura da optimus é deficiente em quase todo o lado. Mesmo em casa continuo a ouvir as chamadas aos soluços e nalguns locais não se consegue ouvir mesmo nada. Chamadas há em que ouço quem está do outro lado mas quem fez a chamada não me ouve principalmente quando é uma chamada de um cliente da optimus.
Quando vejo na TV aquela publicidade interessantíssima da optimus interrogo-me se não seria mais honesto canalizar todo aquela pipa de massa para melhorar o serviço oferecido aos clientes?

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

TABLE IN RED

Aqui está algo que me dá gozo… pôr uma mesa requintada e, se possível, fora do comum. Gosto de pôr uma mesa com todo o requinte e não é preciso que seja para um momento especial. Pode ser um simples jantar de família ou então um jantar de amigos como foi esta ocasião. Francamente não sei se o resultado final foi o melhor em sentido estético, mas lá que ficou diferente… é inegável.
Pena a cobertura das cadeiras não ser em preto…

domingo, 1 de dezembro de 2013

O TRIO MARAVILHA

Quando me inscrevi no ginásio, a conselho do meu cardiologista, o objectivo era apenas fazer uma caminhada diária de 30 minutos na passadeira. Com o passar do tempo fui-me aventurando nas máquinas da musculação. A escolha do ginásio obedeceu a um critério de selcção baseado na qualidade das instalações bem como um ambiente calmo e familiar em detrimento da distância ou mensalidade. Era esse o ambiente do ginásio em que me inscrevi se bem que, ao longo do tempo, tenha vindo a degradar-se principalmente nesta época de crise económica. Para atrair clientes, os ginásios recorreram a promoções e facilidades de pagamento o que veio  tornar possível a frequência das instalações pelos chamados grunhos dos ginásios que normalmente não se sentiam atraídos por um ginásio frequentado maioritariamente por gente de idade madura. Já passaram por lá alguns grunhos individualmente ou aos pares, que além de um comportamento pouco cívico acabaram por não interferir demasiado com o espaço e a sensibilidade auditiva dos outros utentes. Ultimamente apareceu o que eu designei por “trio maravilha”. São aquele género de grunhos que para comunicar, gritam desalmadamente de uns para os outros durante os exercícios. Infelizmente, não se ficam pela sala de musculação, frequentam também o banho turco, a sauna e obviamente os balneários… enfim, tudo aquilo a que têm direito. E é precisamente nestas instalações que, a plenos pulmões, fazem questão de exteriorizar o conteúdo da sua “nothing box” do cérebro. Neste género de indivíduos o ego aumenta proporcionalmente ao desenvolvimento muscular. Daí que onde quer que se encontrem, não conseguem ver mais ninguém a não ser a eles próprios… E quem se sente incomodado é que se retira.

sábado, 30 de novembro de 2013

MONTAR A ÁRVORE DE NATAL

Tinha de ser ontem, até porque hoje não há escola, o dia de montar e decorar a árvore de natal cá de casa com a preciosa “ajuda” do Miguel. De acordo com a tradição católica, a árvore só devia ser montada depois do dia 30, ou seja, no domingo por ser o início do advento mas antecipar um dia penso que não será grande crime...
A colaboração do Miguel começou pelo transporte da árvore e adereços desde os arrumos na garagem até ao apartamento. É bom salientar que a nossa árvore (artificial) precisa de uma montagem meticulosa, raminho por raminho, camada por camada… Tarefa nada fácil uma vez que ainda é necessário em cada raminho, orientar cada um dos galhos… Ufffff…! Mas o Miguel não se cansou e com a minha (discreta) ajuda, conseguimos acabar a montagem do pinheiro.
Era tempo de passar à segunda fase: decorar a árvore de natal com os respectivos adereços. Dessa tarefa encarregou-se também o Miguel mas com a ajuda da avó. Enfim, uma tarefa partilhada para mais tarde recordar, estou certo, mas só quando chegar à minha idade tal como também me deu para recordar na publicação anterior.
E foi este o resultado final… nada mau…
Também de acordo com a tradição, a árvore ficará montada até ao dia 6 de janeiro (Dia de Reis), dia em que se procederá à sua desmontagem.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

A MINHA ÁRVORE DE NATAL

Durante os meus primeiros anos de vida, a Árvore de Natal não fazia parte da decoração natalícia. O lugar de destaque no aparador que ficava à entrada da sala de jantar era ocupado pelo presépio. As prendas, quem as trazia, não era o Pai Natal, pediam-se ao Menino Jesus e eram os pais que as ofereciam… Não sei se alguma vez acreditei no Pai Natal mas acho que a convivência com os rapazes da minha rua não foi consentânea com a hipótese de acreditar.
Com o passar dos anos, a Árvore de Natal foi-se fazendo presente sem contudo nos ser permitido o prazer de colaborar na sua decoração. Essa tarefa era assumida pela minha mãe sem qualquer hipótese de ajuda quer da minha parte quer do meu irmão. Hoje penso que a razão dessa interdição estava relacionada com a fragilidade do material com que eram feitas as “bolas” de Natal e do seu elevado preço para o fraco poder económico da família. Apesar da permissão da presença da Árvore de Natal, as prendas continuaram a ser pedidas ao Menino Jesus… Geralmente não iam além de umas luvas, um cachecol, um chocolate…
Hoje a Árvore de Natal faz-se não como outrora em atenção aos filhos já adultos mas para contentamento e felicidade do meu neto. È gratificante observar o prazer com que o pequenote colabora na sua decoração! As prendas, essas ainda continuam a ser pedidas ao Pai Natal…
Está na hora de começar a tarefa de decorar a árvore de natal cá de casa… com a colaboração do Miguel… obviamente!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

ESCREVER É UM ACTO SOLITÁRIO

Escrever é um acto solitário. Esta frase de tão estafada é já quase um cliché. Mas, no que me diz respeito, é mesmo um facto…
Com mais tempo livre das actividades profissionais, esse tempo acaba por ser investido no acompanhamento e apoio da família. Ironicamente, apesar de dispor de mais tempo, escasseia aquele que dedico à minha pessoa. Acontece que dispunha de mais tempo só para mim antes de me aposentar do que aquele que usufruo agora. Nos meus planos de pós aposentadoria, as manhãs seriam destinadas, para além das pequenas tarefas domésticas, para a escrita. Se bem o tentei, mais depressa acabei por concluir da minha incapacidade para escrever na presença de familiares em casa. Não me resta a mínima dúvida de que, para mim, escrever é um acto solitário só possível quando a casa se encontra em pleno silêncio, sem o distrativo de qualquer actividade humana.
Por isso, em determinados dias, não publico nenhum dos meus muitos pensamentos.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

SUGESTÃO PARA O FIM DE ANO

Pode parecer um pouco cedo mas, se realmente está a pensar sair de casa no final de ano, está na altura de fazer a sua reserva.
Aqui vai uma "excelente" sugestão para o final do ano...!!!

QUINTA DO CASAL | CASA DA EIRA
Qualquer uma das "casas" têm excelentes instalações


terça-feira, 26 de novembro de 2013

LIMÃO CONGELADO

Verdadeiramente interessante! Passo a receita da mesma maneira como me chegou às mãos...
Tudo o que nós precisamos, é... de um LIMÃO CONGELADO.
Coloque um limão bem lavado no congelador do frigorífico. Quando estiver congelado, utilize o ralador e rale o limão inteiro (sem o descascar). O limão completo introduz um novo sabor na comida. As cascas do limão contêm cinco a dez vezes mais vitaminas do que o sumo.
Polvilhe as suas bebidas, gelados, sopas, cereais, massas, molhos, arroz, sushi, peixe, whisky... a lista é interminável.
Todos os alimentos terão inesperadamente um sabor maravilhoso, algo que talvez não tenha conhecido antes.
Mas, ao polvilhar o limão congelado (ralado) em cima dos seus alimentos, pode obter ainda mais saúde. As cascas do limão são saudáveis na medida em que destroem os elementos tóxicos do corpo.
Os benefícios surpreendentes do limão:
O limão é um fruto milagroso para matar as células cancerígenas.
É 10 000 vezes mais forte do que a quimioterapia.
Porque é que não sabíamos nada disto?
Porque existem laboratórios interessados em fazer uma versão sintética, que lhes dá enormes lucros.
O seu sabor é agradável e não provoca os efeitos secundários da quimioterapia.
O limão é uma solução comprovada para todas as variantes do cancro.
Ele é considerado também um espectro antimicrobiano contra infecções bacterianas e fungos. É eficaz contra parasitas internos e vermes, regula a pressão sanguínea quando é muito alta, é um antidepressivo e combate o stress e os distúrbios nervosos.
Uma informação de um dos maiores fabricantes de medicamentos do mundo, diz que após mais de 20 testes desde 1970, os resultados revelaram que destrói as células malignas de 12 tipos de cancro, incluindo o do cólon, da mama, da próstata, pulmão e pâncreas...
E o mais surpreendente é: este tipo de terapia com o extracto do limão, apenas destrói células cancerígenas malignas e não afecta as células saudáveis.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

OUTROS TEMAS

Sensível que sou a algumas das críticas que me têm sido pessoalmente dirigidas, talvez no intuito de não me magoar, decidi recolher a vossa opinião sobre os temas que gostariam de ver aqui abordados. A maioria dessas críticas refere que os temas são demasiado centrados na minha pessoa. Não me custa reconhecer que assim é visto que se trata de um blog de pensamentos…Contudo, com a máxima abertura que me caracteriza, devo dizer que não me sinto minimamente melindrado e muito menos ofendido com tais observações. A prova-lo e porque também sou curioso, gostava de saber que outros temas gostariam que abordasse. Obviamente que qualquer um dos temas que me venham a sugerir terão sempre um cunho muito pessoal já que este blog se assume como sendo um blog de pensamentos e de ideias soltas…
Desde já o meu obrigado pela colaboração.

domingo, 24 de novembro de 2013

O GOSTO DA MUDANÇA

Já por aqui assumi, logo, publicamente, que gosto de mudanças principalmente na decoração da casa. Nesse aspecto, apenas a minha filha comunga do mesmo gosto sendo os restantes membros da família avessos a qualquer mudança.
Pessoalmente cansa-me a mesma cor em decoração, os mesmos móveis e, se possível, adoro fazer pequenas melhorias a nível arquitectónico…
Por isso, não é de estranhar que o mesmo se passe com o cabeçalho deste blog. Como tiveram oportunidade de observar ao longo do tempo, já teve diferentes aspectos começando pelos mais rebuscados (tendência dos principiantes) até chegar ao actual. Gosto da simplicidade quer a nível da decoração, quer dos cabeçalhos que tenho vindo a selecionar. Mas porque falta apenas um mês para o Natal e na tentativa de gerar um pouco do espírito natalício, não pude resistir à tentação de, mais uma vez, alterar (temporariamente) o header deste blog.
Espero que gostem.

sábado, 23 de novembro de 2013

ENTRE O FRIO E A CHUVA...

Se o frio não me agrada, gosto muito menos de chuva. Entre uma e outra opção, lá vou suportando estoicamente as baixas temperaturas que têm assolado o nosso país dando graças pelo sol que nos tem iluminado…
Desde que me lembro, sempre sofri bastante com o frio. Recordo o meu percurso de casa à escola, manhã cedo, a saltaricar de passeio em passeio à procura do sol matinal para me aquecer. Ainda hoje faço esse percurso sinuoso de um passeio para o outro, à procura do sol. Decididamente, eu não estava destinado a nascer neste país… Por qualquer erro de programação vim aqui parar. Não estivesse condicionado pelos laços familiares, iria passar os meus dias de aposentadoria em outras paragens de climas mais amenos. Um dos países prioritários seria o Brasil até pela facilidade da língua já que domino mal o inglês.  E não se pense que este meu desejo de emigrar se relaciona com a crise que se vive actualmente no nosso país. Todos sabemos que esta bem como todas as crises sentidas em outros países devem-se à corrupção que grassa por todo o mundo. Não há países isentos de corrupção, só que uns são mais corruptos do que os outros…

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

ESPÍRITO DE NATAL

Paira já no ar o espírito natalício, os centros comerciais encontram-se primorosamente decorados com motivos natalícios e em todos eles pode ver-se o “trono” a aguardar a vinda do Pai Natal que nele se irá instalar para as tradicionais fotos das criancinhas ao colo do “velhote”. Nota-se já uma certa “febre” de consumismo nas pessoas que circulam e entram sobretudo nas lojas de brinquedos. Confesso que também já fizemos a nossa ronda por essas lojas e já adquirimos as prendas que o Pai Natal vai trazer ao Miguel…
Dizer que me agrada esta época do ano seria da minha parte, uma completa mentira. É certo que nos últimos anos consegui ser tocado pelo tal Espírito de Natal muito graças à chegada do meu neto ao núcleo familiar. Até à data em que ele começou a apreciar o Natal, houve um interregno em que esta quadra festiva era mais motivo de tristeza do que de euforia natalícia. Ainda hoje, inexplicavelmente, me entristecem os cânticos natalícios e toda essa corrida das multidões, quais baratas tontas, na procura dos presentes de última hora…

Mas afinal é Natal…! e o Miguel aguarda ansiosamente a vinda do Pai Natal com os presentes há muito encomendados…

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

MAIS UMA DAS MINHAS GAFES

Como algumas vezes acontece, almocei sozinho no shopping. Depois de escolher onde (acaba por ser sempre o mesmo restaurante) e o que comer, peguei no tabuleirinho, e procurei uma mesa onde me instalar. Vislumbrei uma de dois lugares e instalei-me pronto a degustar o meu almoço. Entretanto, na mesa ao lado, sentou-se uma jovem em animada conversa através do telemóvel. Quando se almoça sozinho há sempre aquela tendência involuntária para ouvir a conversa da mesa ao lado. Durante o almoço, enquanto olhava o lugar vazio em frente ao meu e ia imaginando quem poderia estar ali sentado a fazer-me companhia não prestava a mínima atenção ao diálogo da minha vizinha da mesa ao lado. A certa altura, uma frase veio de encontro aos meus ouvidos num timbre de voz que me fez lembrar a funcionária de um outro restaurante que também costumo frequentar. A voz ao meu lado dizia “Tudo bem menino?”. Exactamente a mesmo tipo de cumprimento que a tal funcionária me dirige habitualmente… Automaticamente respondi; Tudo bem obrigado. A jovem dirigiu-me um olhar fulminante. Apercebendo-me da minha gafe, baixei o olhar para o meu prato e continuei a comer. A jovem acabou a conversa ao telemóvel e começou a comer ao mesmo tempo que me olhava de soslaio meio desconfiada. No intuito de a acalmar, dirigi-lhe o meu mais simpático sorriso… Lentamente, a jovem levantou-se, pegou no tabuleiro com o almoço e foi sentar-se numa outra mesa longe daquele louco (eu) que responde às saudações dirigidas a outras pessoas pelo telemóvel…
Há palavras que se escapam das nossas bocas e se infiltram nos ouvidos de quem passa ao lado…

terça-feira, 19 de novembro de 2013

ONDE QUER QUE TE ENCONTRES

Completa-se hoje mais um ano que partiste… Não importa quantos anos já passaram pois te sinto ainda tão presente… Desde sempre que o teu gosto era voar, tal como o meu, mas tu tiveste a coragem, eu, o receio… Deus “permitiu” que partisses nesse teu eterno voo solitário… Onde quer que estejas, o que quer que sejas, uma estrela, um astro um raio de luz ou uma simples partícula do átomo quero que saibas, quero que sintas quantas saudades tenho de ti. O tempo passa e, quanto mais passa, mais sinto a falta das tuas críticas (por vezes mordazes) e, na maior parte das vezes, dos teus ralhetes. Consigo imaginar nesses teus olhos amendoados (tão diferentes dos meus) a tristeza que deves sentir ao vislumbrar os erros meus… como te deve ser difícil suportar a impotência em evitar as minhas quedas e todavia sempre pronto a ajudar-me a levantar… Imagino-te já em companhia da nossa irmã e consigo “ver” o vosso espanto quando olhais através de mim… Ninguém conhece verdadeiramente ninguém… Será que algum dia vos conheci… plenamente…?
Onde quer que estejas, o meu abraço…
Há dias assim em que a saudade bate mais forte e a necessidade de desabafar é maior…
Há dias assim…

domingo, 17 de novembro de 2013

HÁ SEMPRE OUTRA SAÍDA


Em qualquer momento ou situação na nossa vida, não existe apenas uma saída, sempre existe uma ou mais alternativas. O que por vezes nos condiciona são as tradições, as convenções sociais, os tabus… Todos estes condicionalismos levam-nos a escolhas nada consentâneas com os nossos anseios e vão contra a nossa própria filosofia de vida. Por isso, vítimas de escolhas feitas de acordo com os padrões sociais muitos de nós levamos uma vida infeliz carregada de frustrações… Convém não subestimar a influência das emoções sobre o estado de saúde do nosso corpo. Com efeito, estou cada vez mais convencido que o sofrimento interior leva ao aparecimento da doença orgânica, hipótese defendida pela medicina psicossomática.

Por isso…
Sempre que houver alternativas, tenha cuidado.
Não opte pelo conveniente, pelo confortável,
pelo socialmente aceitável, pelo honroso.
Opte pelo que faz o seu coração vibrar.
Opte pelo que gostaria de fazer,
apesar de todas as consequências.
Osho

sábado, 16 de novembro de 2013

IDEIAS SOLTAS

Nunca é demais lembrar que este, é um blog de ideias soltas… Muito daquilo que escrevo, muitas vezes, não tem por base nada de concreto… Escrevo sobre o que sinto num dado momento e, muitas vezes, o que publico reporta-se a momentos já passados como é o caso das poesias. Por isso geralmente o que publico não traduz os meus sentimentos do momento. A maior parte das vezes, esse momento já passou, já faz parte do passado…

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

DO OUTRO LADO DO ESPELHO

- Que vês do outro lado do espelho?
perguntou a lebre.
- Vejo alguém parecido comigo,
mas em tantas coisas diferente, pois eu não sou assim.
Fisicamente é mesmo muito parecido comigo…
Mas em tudo o resto diferente…
como se um reflexo fosse isso mesmo, o oposto.
                                (in: Alice no País das Maravilhas)

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

EPIFANIA

Ou eu sou muito burro ou então, porque tenho agora mais tempo para pensar, acabo de ter uma epifania… por qualquer uma dessas razões, só hoje me apercebi que passei a vida a procurar obsessivamente uma razão para tudo quanto sinto. Claro que a minha inteligência ainda me permite reconhecer que é um erro crasso tentar racionalizar os sentimentos. Esta atitude conduz-me sempre à incongruência de achar que não devia gostar do que gosto ou de quem gosto porque na maioria das vezes não existe uma razão que explique esse sentimento. A idade tem destas coisas, e faz-nos compreender que os sentimentos se aceitam quer se goste do improvável ou mesmo do absurdo…
Gosta-se e pronto.
Há dias assim…

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

"UM ELÉCTRICO CHAMADO DESEJO"

Está quase a fazer um ano que levámos o Miguel à baixa para cumprir a promessa de o levar a andar de eléctrico  Desde os meus tempos de juventude, já lá vão pelo menos quarenta e cinco anos, que eu próprio não andava de eléctrico  Adorei e pela expressão de felicidade estampada no rosto do pequenito, não fui só eu que gostei. Fizemos um mini-circuito pela cidade entre a Praça da Liberdade e o Carmo. Para mim foi uma viagem nostálgica, uma viagem de regresso ao passado.
Para quem não sabe, como eu também não sabia, foi a 12 de Setembro que se inaugurou a primeira linha (entre o Carmo e Massarelos) sendo a primeira linha da Península Ibérica. O Porto tem destes pioneirismos…
Estou ansioso por repetir este ou outro circuito maior de carro eléctrico  Não ponho de parte um dos circuitos turísticos de autocarro. Talvez nas próximas férias escolares para poder levar o pequenito.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

A SAGA DOS CARTÕES "SIM"

Ontem foi um dia passado no shopping entre a Zon e a Optimus, tudo porque nos enviaram uma carta avisando que teríamos de trocar os cartões dos telemóveis até ao dia 23. Em anexo, lá vinham os malfadados cartões 4G para substituição. Como sou um bocado azelha nestas configurações informáticas, dirigi-me ao stand da Zon para validar o novo cartão. Depois de um longo tempo de espera, chegou a nossa vez e fomos informados de que os nossos telemóveis estavam bloqueados a uma rede, sendo por isso necessário desbloqueá-los ou adquirir outros. Nesta última hipótese receberia um voucher de 50€ pelo que optei por adquirir outro aparelho. Fui informado que teria que me deslocar ao stand da Optimus para a aquisição. Depois de feita a escolha do novo aparelho, pensava eu que a coisa ficaria resolvida por ali mas estava enganado. Era necessário validar o novo cartão através de uma chamada para um número grátis. Liguei para o tal número e uma gravação ia-me questionando sobre o que pretendia fazer e eu ia teclando os números que correspondiam às minhas respostas. Por fim, teria que aguardar cerca de uma hora para receber um SMS a informar-me quando podia proceder à troca dos cartões. Fui almoçar na praça da alimentação do shopping na esperança de receber o dito SMS. Como era preciso apanhar o Miguel na escola regressei a casa. Entretanto chegou o tal SMS. Depois de apanhar o Miguel na escola, voltei ao shopping para me ajudarem a migrar os meus contactos para o novo telemóvel enquanto o Miguel se divertia com um jogo instalado num dos telemóveis em exposição…
De regresso a casa, foi só apanhar o saco do Gym e pôr-me a andar… Hoje era mesmo forçoso o treino para descomprimir de um dia tão stressante… E agora cá estou eu a olhar para um telemóvel que embora básico me consegue desorientar completamente… É nestes pequenos pormenores que se dá conta do “peso” da idade…

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

VERÃO DE SÃO MARTINHO

Segundo o calendário litúrgico, o dia de S. Martinho celebra-se a 11 de Novembro, data em que o Santo foi a enterrar em Tours (França) no ano de 397. Neste dia é habitual assarem-se castanhas e beber o vinho novo, produzido com a colheita do verão anterior. Em nossa casa, o que se bebe a acompanhar as castanhas é a jeropiga.
O Magusto é uma tradição popular celebrada de norte a sul do nosso país e, pelo que sei, também na Galiza. Mas o que mais me impressiona é que o tempo invernoso geralmente melhora dando lugar a alguns dias de sol e temperaturas amenas. O fenómeno é designado pelo Verão de São Martinho. Há quem interprete este fenómeno à luz da religião com base na lenda de São Martinho contudo existe uma explicação meteorológica para este fenómeno que se vem repetindo ao longo dos séculos desde a época em que o santo viveu. Geralmente, nesta altura do ano, é normal que se instale um anticiclone na Europa Ocidental que dá origem aos dias de sol e às temperaturas amenas em pleno outono.
Abençoado São Martinho e ao anticiclone que, por breves dias, provoca um interregno nestes tristes dias de chuva que temos vivido.

domingo, 10 de novembro de 2013

O RANKING DAS ESCOLAS

Tinha tentado resistir à tentação de comentar o ranking das escolas mas começa a enjoar-me tanto comentário nos órgãos de comunicação social. Chegarem através do ranking à “brilhante” conclusão de que as escolas privadas obtiveram melhores resultados do que as escolas públicas não seria motivo de surpresa se a maioria dos comentadores conhecesse minimamente a realidade escolar.
É sabido e toda a gente conhece o ditado: “sem ovos não se fazem omeletes”. Quem diz ovos, diz material, isto é, sem bom material não se pode construir nenhuma obra de qualidade. Todos os factores apontados pelos comentadores, desde os socioeconómicos até às condições físicas e económicas das escolas, são relevantes mas, até agora, ainda ninguém teve ovos (há quem lhe dê nome de fruta…) para apontar a verdadeira razão que explica esta discrepância de resultados. É tudo uma questão de material, material humano neste caso. Toda a gente sabe que os alunos que frequentam as escolas privadas são oriundos de meios socioeconómicos privilegiados  Devido ao investimento que os encarregados de educação fazem, são muito mais intervenientes na vida escolar dos seus educandos fazendo deles alunos mais motivados. Quer queiramos quer não ver e divulgar, este é o principal factor que faz a diferença entre as escolas privadas e as escolas públicas.

Deixem-se de comparar o que não é comparável…

sábado, 9 de novembro de 2013

A ARTE DE BEM DESPERTAR PELA MANHÃ

O dia começa geralmente com o toque estranho do telemóvel que já há muito tempo não ouvia… Aquele toque (não me posso esquecer de o mudar) dá-me engulhos. Recorda-me o tempo em que despertava às 07H30 horas para ir trabalhar. O motivo agora é o mesmo só o trabalho é diferente. Em vez de ir dar aulas levo o neto às aulas…
Acordo sobressaltado ao som daquele toque lúgubre do despertador do Nokia. Carrego na tecla para silenciar o aparelho e, finalmente, tomo consciência de que aquele toque é para mim. Significa que são horas de saltar da cama. Bem, isso de saltar da cama, já era. Agora a cena desenrola-se de outra forma. Lentamente, passo as pernas para o lado de fora da cama afastando a roupa para o outro lado. Levanto-me endireitando-me gradualmente à medida que contorno a cama e me aproximo da porta da casa de banho. Apreciando a cena à distância, o aspecto deve ser muito semelhante aquela gravura que mostra a evolução do homem… Ao chegar à porta da casa de banho já me encontro na vertical… o pior é a imagem que o espelho reflete muito parecida com os primórdios da evolução…
Feita a toilete matinal, eis-me com um aspecto mais ou menos civilizado e pronto a iniciar as minhas tarefas matinais…
Afinal não custa nada despertar pela manhã…!
Felizmente hoje é sábado e amanhã é domingo…

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

OVO ESTRELADO

Mais uma vez fui forçado a exercer os meus dotes culinários. Dizer que fui forçado talvez seja exagerado já que o fiz com prazer. Eram ainda seis horas da tarde e perante a demora da avó em chegar a casa, o Miguel sugeriu que fossemos comendo ovos estrelados com batatas fritas. Boa ideia, pensei eu. Além de ser o meu prato preferido é também a minha especialidade culinária… Não digo que não conseguisse cozinhar outros pratos visto que até sou bastante criativo e sei usar com mestria os diversos temperos disponíveis em quase todos os supermercados. Ainda um dia irei surpreender tudo e todos quando me dedicar a sério a essa nobre arte que é a culinária. De momento, lá fui para a cozinha preparar o “jantar” do Miguel contrariando a recomendação dos pais para um consumo moderado dos ovos. Com efeito, o ovo foi considerado durante décadas como o responsável pelo aumento do colesterol sendo recomendado limitar o seu consumo a dois ovos por semana. Estudos recentes desmentem esse conceito e dizem que o ovo pode ser consumido diariamente sem afectar a saúde. Além de ser uma fonte de proteína completa, é rico em ferro, fósforo, cálcio e vitaminas A, B6 e B12.
Com todas estas “atenuantes”, foi um regalo sentar-me ao lado a ver o prazer com que o Miguel saboreou aquela “iguaria” preparada por mim com imenso prazer.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

A INTRIGA BEM-INTENCIONADA

Já lá vai o tempo em que acreditava na boa-fé daqueles indivíduos que na melhor das intenções nos contam aquilo que muitas vezes já sabemos mas não queríamos admitir… São aquele género de pessoas que, segundo nos querem fazer acreditar, só querem o nosso bem mas vão dando as suas alfinetadas e desfiando as suas intrigas deleitando-se com o romper de relações, destruição do amor-próprio e da saúde mental daqueles a quem pretensamente só querem ajudar…
Esse género de pessoas sempre me fazem lembrar um gato, ronronando, insinuando-se junto a nós,… e na primeira altura em que nos apanham desprevenidos, deitam as garras de fora e cravam-nos as unhas na pele… Que me perdoem os gatos bem-intencionados e amigos dos seus donos…!
Contudo, nem sempre a intriga tem como intenção prejudicar seja quem for, pode ser “espalhada” na melhor das intenções por convencimento da sua veracidade devido a uma má interpretação de um facto ou a um lapso de memória… Mesmo assim, como qualquer intriga, pode ser profundamente nefasta e destrutiva de relacionamentos…
Sempre me dá imenso gozo fingir que acredito nas (in)verdades quando estou de posse do contraditório avaliando até que ponto o “gato” tem ou não tem uma intenção maléfica…
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...