Etiquetas

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

COMO ELIMINAR AS "GORDURAS"

Nos dias que correm, a obesidade é um dos problemas que mais preocupa os responsáveis pela saúde a nível mundial. Segundo a OMS, Portugal é um dos países com uma das maiores taxas de excesso de peso tanto em adultos como em crianças. Sendo ela própria uma doença crónica, a obesidade é também a principal responsável por um grande número de outras doenças.
Perante a gravidade desta doença, é compreensível que manifeste a minha preocupação com as gorduras… do Estado, evidentemente!
Estima-se que com essas “gorduras” o Estado gastará cerca de 50 por cento da produção nacional e da cobrança de impostos, taxas e contribuições… Antes da queda do Governo PSD-CDS, era já do conhecimento geral que as Gorduras do Estado tinham aumentado mil milhões entre 2007 e 2015 (estudo realizado pelo Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra). Isto apesar dos cortes salariais, taxas e taxinhas, despedimento e afastamento de milhares de funcionários públicos…!
Perante este diagnóstico, impõe-se a prescrição de uma dieta adequada que permita ao Estado uma recuperação rápida e estável da sua saúde.
Não sendo eu médico (melhor diria economista) permito-me prescrever uma dieta em benefício da saúde do Estado e afinal, de todos nós:
PRESCRIÇÃO
- Cortar com o elevado número de institutos, organismos, fundações, etc. 
- Reduzir drasticamente as mordomias dos ex-Presidentes da República
(gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, carros atestados, motoristas, etc.).
- Reduzir o número de deputados da AR bem e respectivas mordomias.
- Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas.
- Acabar com as empresas Municipais e respectivos Administradores.
- Reduzir o número de Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia.
- Acabar com a renovação sistemática da frota de viaturas do Estado.
- Reduzir ou se possível eliminar a reforma de altos funcionários do estado.
- Reduzir para valores “normais” os salários milionários nas empresas públicas…
- Controlar rigorosamente a actividade bancária de forma a evitar que sejam novamente os contribuintes a pagar uma nova "crise" além de exigir que os Bancos também paguem impostos.
- Controlar o património de todos os que ocupam cargos políticos, de forma a detectar o enriquecimento ilícito.
- Acabar com o Financiamento aos partidos, de modo que disponham apenas das quotizações dos associados para desenvolver as suas actividades.
-----------------------------
Com um Governo apoiado pelo BE e PC, tenho esperança que sigam com rigor a minha prescrição ou será que vão sucumbir à tentação de uma dieta menos saudável…?
Depois destes cortes nas “gorduras”, se implementados, quero ver quem quer mais ser deputado ou integrar um novo governo, seja ele qual for.

domingo, 29 de novembro de 2015

IAS TÃO BEM,

na tua curta caminhada…
É normal cair quando se dá os primeiros passos.
Mais tarde, quando cresceres,
é provável que caias algumas vezes
e que muitos corram em teu auxílio,
mas só uma mão te ajudará a levantar.
Repara bem nessa mão
porque ela pertence a alguém
que se preocupa contigo,
que só quer o teu bem-estar.
Essa, é a mão de quem te ama.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

ISTO, É EMPATIA

Muito se tem falado de empatia propósito de tudo e de nada nos diversos campos de actuação humana. O facto de se falar e de estar na moda (já esteve mais) não significa que sempre se compreenda basicamente o seu significado. Como professor aposentado tive oportunidade de assistir ao uso e abuso deste conceito nem sempre aplicado no seu real significado. De facto, não é fácil arranjar uma definição perfeita de empatia. No fundo, todo o ser humano é detentor de imensas capacidades a que nem sempre dá o devido uso. Uma delas, senão uma das mais importantes, é a capacidade de se colocar no lugar do outro ainda muito pouco praticada. Isto por ser, segundo Augusto Cury, uma das funções mais importantes da inteligência. Segundo o mesmo autor, a capacidade de se colocar no lugar do outro, demonstra o grau de maturidade do ser humano.
Exercitar a capacidade de se colocar no lugar do outro, evitaria seguramente que se cometessem muitos dos erros de que mais tarde nos vimos a arrepender pois, deste modo, é possível imaginar como nos sentiríamos se aquele a quem atribuímos a culpa, fossemos nós...
Além de conseguir sentir a dor dos outros, torna-se também possível compreender as razões e atitudes que levaram à tomada de determinadas posições.
Quantas discussões, zangas e roturas de relacionamentos se evitariam se esta capacidade fosse exercida com maior frequência.
É a isto que eu chamo “empatia”.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

É HOJE... HAJA DEUS!

Esta quinta feira, pelas 16h00, tomará posse o novo governo. Haja Deus…! Se outra vantagem não tivesse, a de pôr um fim à crispação que alastrou como uma epidemia por esse país fora, seria uma das principais. O tempo que durou esta epidemia, permitiu que se estabelecesse entre o cidadão comum, um exercício de esgrima ideológica que virou pais contra filhos, filhos contra pais, amigo contra amigo, marido contra a mulher e vice-versa…
É espectável que este esgrimir de ideias se vá atenuando com o tempo, mas as marcas estão lá. O tempo ajuda a cicatrizar os ferimentos, mas as cicatrizes permanecem.
Este estado de coisas, muito por culpa do actual PR, não se deve exclusivamente à excessiva demora na indigitação de António Costa como PM, mas também à peculiar característica do povo português de abraçar apaixonadamente causas, sejam elas de natureza religiosa, clubística ou qualquer outra, de uma forma que quase toca o fundamentalismo. No futebol, quem não é adepto do club de maior popularidade é confrontado verbal ou mesmo físicamente. Na religião, quem não acredita na Nossa Senhora de Fátima é olhado de lado senão ostracizado em determinados núcleos, e mais exemplos haveria para dar não fora a extensão que este texto já leva.
E agora digam-me lá se o povo português não é, senão fundamentalista, muito intolerante? Claro que isso nota-se mais quanto menor é o grau de educação do indivíduo.
É hoje que o novo governo toma posse. Haja Deus!
Pode ser que que acabe este clima de crispação ou pelo menos diminua, mas as marcas permanecerão...
Até quando?

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

CONTRA O VENTO

Às vezes o vento sopra tão forte que se torna de todo impossível prosseguir no rumo por nós traçado. Então, a atitude mais inteligente é deixar-se ir para onde o vento nos leva com a certeza de que, onde quer que nos leve, poderemos recomeçar ainda mais fortes….
De nada adianta aplicar toda a nossa energia numa luta inglória contra o vento! De certo modo, lutar contra o vento é lutar contra Deus.
O vento que nos trouxe, também nos há de levar…

terça-feira, 24 de novembro de 2015

"O HOMEM É UM ANIMAL IRRACIONAL,

EXACTAMENTE COMO OS OUTROS"
No auge da minha convalescença após a cirurgia a que fui sujeito recentemente, o que mais me custou foi não poder dar colo à Ritinha quando ela corria para mim de braços abertos e sorriso rasgado.
Inexplicavelmente os meus netos têm comigo uma relação muito especial sem que eu nada faça de especial para a merecer.
É assim com as crianças… até certa idade. Do mesmo modo que alguns animais demonstram capacidades psíquicas altamente desenvolvidas, também as crianças de tenra idade demonstram faculdades paranormais incompreensíveis para nós adultos. O isoterismo explica os dons nos animais dizendo que os gatos, são atraídos por energias negativas, enquanto os cães são atraídos por energias positivas, o que nem sempre corresponde à verdade...
É sobejamente conhecida, através de casos concretos, a capacidade psíquica que alguns animais têm de pressentir o futuro, viajar quilómetros por caminhos desconhecidos até chegar ao seu destino, pressentir o estado de espírito dos donos, detectar doenças, bem como outras formas de sensibilidade paranormal.
É provável que com os humanos aconteça algo semelhante pelo menos até uma certa idade. Não me custa acreditar que as crianças comunguem dos mesmos dons que os animais nem me sinto chocado com a comparação.
O homem é um animal irracional, exactamente como os outros. A única diferença é que os outros são animais irracionais simples, o homem é um animal irracional complexo. É esta a conclusão que nos leva a psicologia científica, no seu estado actual de desenvolvimento. O subconsciente, inconsciente, é que dirige e impera, no homem como no animal”.
Quem o diz, é Fernando Pessoa e quem sou eu para discordar?!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

CRISPAÇÃO: DOENÇA ALTAMENTE CONTAGIOSA

Vive-se em Portugal um momento de grande crispação partidária nunca antes visto. Até às últimas eleições legislativas, as diferentes ideologias políticas conviviam no seu dia a dia sem quaisquer radicalismos e poderíamos mesmo dizer, pacificamente. De então para cá parece que veio ao de cima toda a raiva há muito contida, revelando-se o pior que há em cada ser humano. Muita gente assumiu uma posição de grande radicalismo partidário que raia mesmo o fundamentalismo. Cada qual se acha o senhor da verdade e da razão não dando a mínima hipótese ao contraditório. É confrangedor observar-se a raiva que transparece nas publicações nas redes sociais e mais ainda nos comentários que suscitam. Não raras vezes, quem comenta recorre ao insulto e ao palavrão como forma de manifestar a sua discordância. Tristes “argumentos” próprios de quem não os tem e age motivado por emoções primárias ignorando de todo a razão.
A desnecessária e até evitável crispação dos dirigentes políticos tem-se propagado qual epidemia entre o comum dos cidadãos deste país. De uma maneira geral, os políticos são o reflexo da sociedade que os gerou.…
Note-se que nem a AR é um altar, nem os políticos são santos. Afinal eles são feitos do mesmo barro do comum dos mortais.
"Respeitar as opções do outro, sob qualquer aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas são diferentes, agem e pensam de forma diferente. Portanto, nunca julgue, tente apenas compreender." (desconheço o autor)

domingo, 22 de novembro de 2015

A GENTE VAI SEM SABER ONDE

Às vezes a gente vai, e vai porque tem de ir não porque disso tenha vontade. Quer se trate de trabalho, evento social, viagem ou sabe-se lá mais o quê… lá vamos nós.
A gente vai sem destino certo, a caminho da liberdade ou mesmo da própria morte como foram os judeus a caminho do holocausto ou mais recentemente os refugiados, ….
Sabendo ou não o que nos espera, a gente vai e para onde vai, nunca vai só, leva consigo quem nos ama…
Às vezes a gente vai simplesmente porque tem de ir.

sábado, 21 de novembro de 2015

MONUMENTO DE HOMENAGEM ÀS VÍTIMAS DO VOO TP 425

Todos os dias, hora a hora, minuto a minuto, segundo a segundo, ocorrem por esse mundo fora imensos acontecimentos que dariam para encher páginas e páginas de jornais e horas infindas nos noticiários televisivos.  Por isso compreende-se a necessidade de uma selecção criteriosa dos mais mediáticos e aqui reside o busílis da questão. Como decidir quais os eventos de maior interesse a nível humano e social?
Num país em que o verniz estalou (por superficial) e se instalou a guerra entre “esquerda” e “direita”, num mundo em que os atentados contra inocentes acontecem indiscriminadamente por toda a parte, compreende-se até certo ponto que a notícia tenha tido pouco relevo através dos media. No entanto, alguns jornais (Ler notícia) e canais televisivos (Ver vídeo) fizeram a cobertura de um evento de enorme importância e significado para as vítimas do fatídico acidente e de tão pouca importância no panorama político e nacional…

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

REGRESSO ADIADO

 “E mesmo quando já ninguém se lembrar, estarei aqui para refrescar memórias e espíritos de quem por mim passar.” (Rita Tamagnini Leal)

Coincidência ou não, nada acontece por acaso, era para ficar hospedado no mesmo hotel que fui inaugurar em 2006. Pois é, já lá vão 9 anos! Recordo que passei nesse mesmo hotel o meu 58.º aniversário e que o staff me ofereceu um bolinho com uma vela… Gente simpática.
O hotel situa-se em Santa Cruz, pertíssimo do aeroporto Internacional da Madeira, vulgarmente chamado Aeroporto de Santa Catarina tendo sido seleccionado devido à essa proximidade.
Aquando da única vez que visitei a Madeira, tinha feito a jura de não mais voltar por motivos óbvios. Nenhuma das suas belezas naturais e são muitas, me tocou tão fundo que conseguisse motivar-me para um novo regresso. É assim quando não há predisposição para apreciar algo. Numa retrospectiva isenta de preconceitos devo admitir que nem tudo foi mau nessa longínqua primeira visita à Madeira, ela marcou uma viragem muito significativa na minha vida num período de profunda depressão.
Quis o destino, o acaso, o azar, que este regresso fosse de novo adiado por motivos de saúde.
Foi com imensa pena que me vi impedido de regressar a essa bela ilha do Atlântico à qual não cabe toda a culpa do fatídico acidente de aviação que vitimou o meu irmão bem como muitas outras vidas (Ler notícia). Estou certo que, onde quer que esteja, o meu irmão Miguel Leal se sentiu muito bem representado pela filha nesta singela homenagem que lhe quiseram prestar.
Prometo que hei de voltar. Este foi apenas um regresso adiado…
Fotografia de Rita Tamagnini

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

INSTANTES

Todos os instantes passam e passam, precisamente por serem apenas instantes. Alguns irão permanecer entre a nostalgia do passado e a incerteza do futuro e aí ficarão retidos para sempre. São esses os instantes que devem ser vividos intensamente sob pena de se perderem porque jamais se repetirão. É preciso estar atento para não os deixar escapar porque eles surgem de repente e quando menos se espera…
Não haja dúvida de que as nossas vidas são pautadas por instantes que no seu todo vão construindo o passado e cuja aprendizagem transportamos para o futuro.
De todos os instantes recordo os que passei junto ao mar que me marcaram por um qualquer pensamento ou por serem vividos em boa companhia. Convém não esquecer que são apenas instantes e, se não forem devidamente apreciados, podem perder-se para sempre… ou talvez não. Como dizia uma das nossas grandes poetisas:
"Quando eu morrer voltarei para buscar os instantes que não vivi junto do mar."
Talvez… quem sabe?

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

QUEM NUNCA RECEBEU UMA MÁ NOTÍCIA?

Não é fácil receber más notícias e não há ninguém que, a certa altura da vida, as não tenha recebido ou venha a receber. Só quem já passou por essa experiência, sabe o impacto que uma má notícia pode ter na vida das pessoas.
É inquestionável a importância que tem a forma como se transmite a mensagem, sobretudo quando se trata de uma má ou uma notícia menos boa. A Internet está cheia de sites que ensinam como dar uma má notícia, mas muito poucos a ensinar como reagir perante uma má notícia. Até certo ponto compreende-se, é que não há receitas. Cada um reage de acordo com a sua personalidade, sensibilidade e herança cultural. Por isso, a reacção pode passar por gritar, chorar, lamentar-se, irritar-se, insultar... ou simplesmente ignorar numa atitude de pura negação.
O certo é que ninguém está preparado emocional e espiritualmente para lidar com uma má notícia.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

MORTE ANUNCIADA

As coisas são como são, não há volta a dar-lhe e o pior de tudo é que têm a estranha tendência para acabar. Umas, acabam abruptamente sem dar tempo para aceitar a ideia, outras acabam gradualmente de tal forma que nem nos apercebermos que estão a acabar. Coube a sorte ao meu portátil de avariar. Há muito que a sua morte se fazia anunciar por múltiplas avarias, mas agora foi definitivo. A única volta a dar-lhe, … foi comprar outro portátil. As coisas são assim… Se por um lado preferíamos que algumas nunca acabem, outras há que o melhor é vê-las acabar e o mais depressa possível.
Por muito boas ou más que as coisas sejam, chega sempre o dia e a hora em que simplesmente acabam. Umas por descuido, outras porque tinham que acabar…. Seja como for, todas as coisas têm a sua morte anunciada. Não, garanto que não estou a pensar exclusivamente no actual Governo, se bem que há muito sabemos que tem a sua morte anunciada. Exactamente por isso, não se compreende todo esse frenesim, através da imprensa e das redes sociais, a desacreditar um governo cuja morte desde há muito (data das eleições) está anunciada! Mais saudável literalmente, seria aguardar serenamente a morte deste governo não esquecendo que todas as coisas têm a sua morte anunciada e o(s) próximo(s) governo(s)… também!

domingo, 8 de novembro de 2015

MALDITOS FINS DE SEMANA

Devo ser das poucas pessoas que conheço que não gosta do fim-de-semana. Se o sábado é uma seca, o domingo consegue ser ainda pior. Detesto os shoppings apinhados de gente em fato de treino em domingo de chuva, as praias cheias de gente em domingo de sol, as estradas entupidas com veículos de gente que vagueia sem rumo nem pressa, as repartições encerradas que nos impedem de tratar qualquer assunto urgente, as lojas fechadas precisamente quando dispomos de mais algum tempo para comprar algo que faz falta,…
Gosto indiscriminadamente de todos os dias de semana, exceptuando o sábado e o domingo, mas nem sempre foi assim… Já houve tempo em que ansiava pelo fim-de-semana tendo em vista fazer uma pausa no trabalho e poder gozar de tempo para descansar, passear e dedicar a mim e à família. Actualmente tenho a felicidade de poder decidir a hora de acordar e os dias em que vou realizar esta ou aquela tarefa de acordo com o seu carácter de urgência sem ter de me preocupar com o trânsito em hora de ponta… Deste modo, todos os dias durante a semana são bons na medida em que não há quase ninguém nas esplanadas, nos shoppings, nas lojas,… fora das horas de ponta, é claro!

sábado, 7 de novembro de 2015

A POLÉMICA DA CARNE PROCESSDA

O que ontem era considerado como verdade, hoje pode ser uma mentira. Isto acontece não por pura leviandade ou até inconsciência. Na verdade, a ciência está em constante evolução levando a que muitas teorias sejam ultrapassadas por novas teorias. Temos disso exemplo em diferentes aspectos da vida social, desde a política até à alimentação. E é sobre este último tema que me vou debruçar. Temos vindo a assistir em todos os noticiários à polémica causada pelo relatório da OMS que alerta para a possibilidade do consumo (exagerado) de carne processada provocar cancro. De certo modo surpreendeu-me a declaração em si e a polémica que provocou. É já de muitos anos atrás o meu conhecimento deste facto e, como professor de Ciências da Natureza, alertava os alunos para este facto. Mas a ciência é assim e a cada dia se fazem novas descobertas ou se corroboram as já existentes.
Quem não se lembra da surpresa que causou há cerca de 30 anos a descoberta de que peixes gordos como a sardinha, carapau, salmão, etc. eram prejudiciais à saúde precisamente devido à gordura… Mais tarde se veio a descobrir que a gordura destes peixes é excelente e benéfica para a saúde. A seguir, vieram os ovos para a lista negra devido ao elevado teor em colesterol sendo desaconselhados devido ao risco de provocarem doenças cardiovasculares. Dados científicos mais recentes vieram mostrar que o colesterol dos ovos não provoca o aumento dos níveis do colesterol na corrente sanguínea. Além disso, as proteínas dos ovos são essenciais a uma dieta saudável se consumidos três vezes por semana no máximo…
Também o azeite foi alvo de exclusão na nossa alimentação por ser uma gordura até que os cientistas descobriram que afinal os benefícios cardiovasculares desta gordura. A única restrição ao uso do azeite tem a ver com os fritos, isto porque este alimento tem um ponto de ebulição muito baixo tendo como consequência a produção de pequenas quantidades de produtos cancerígenos.
E a lista de alimento considerados prejudiciais à nossa alimentação e que afinal se veio a descobrir serem benéficos ameaça não ter fim. Já assim aconteceu com o leite gordo, o chocolate, café, …
O facto de estes alimentos terem vindo a ser reabilitados., isso não significa que se consumam todos os dias e em grandes quantidades. A regra de ouro na alimentação é a moderação no consumo de todos os alimentos. Como diz um antigo provérbio português, “tudo que é demais, é moléstia”.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

O BEM MAIS PRECIOSO

As opiniões dividem-se e abrangem um variadíssimo leque de respostas quando se interroga alguém sobre o que consideram ser o bem mais precioso do ser humano. A lista é extensa e inclui a família, o dinheiro, a liberdade, a amizade,… e não acaba aqui porque passa por muitos outros “valores” de acordo com a filosofia de vida de cada um.
Na minha opinião e de acordo com a experiência pessoal, o bem mais precioso é a saúde. É impressionante como tudo deixa de ter sentido quando inesperadamente somos acometidos pela doença. Tudo aquilo a que atribuíamos uma grande importância fica reduzido à sua real grandeza. Isto é, as coisas perdem a importância que antes possuíam.
É claro que o ser humano, perante a doença, reage de forma diferente de acordo com a gravidade e com a sua própria personalidade mas, duma maneira geral, existe algo em comum: toda a perspectiva perante a vida se modifica.
Geralmente só damos valor a algo ou a alguém depois que o perdemos. É o que acontece com a saúde.
Quantas vezes possuímos jóias preciosas e corremos atrás de simples vidros coloridos!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

A PRINCESINHA ESTÁ A CRECER

A Princesinha era criança e não sabia. Não sabia que era criança e mais do que isso, não sabia o quanto custa crescer… Nem sempre irá ser recebida com um sorriso nos lábios nem com o colo e o abraço envolvente dos pais e avós. Nem sempre lhe dirão o quanto é importante na vida de alguém… Nem sempre deixará de sentir a solidão mesmo quando acompanhada…
De momento, apenas sabe quando tem fome, sede, calor ou frio, o desconforto de uma fralda molhada, a saudade da mãe quando fica no infantário, o medo do desconhecido, o aconchego de um colo.
Não é fácil crescer e mais difícil ainda é ser adulto. Crescer implica abandonar um mundo de fantasia e encarar a realidade tal como ela é. De facto, crescer não é fácil, mas quem disse que seria?!
Convenhamos que nem tudo é mau neste por vezes doloroso processo de crescimento. Crescer traz muitas outras vantagens. É o adquirir da autonomia e independência, o realizar de sonhos… enfim, viver.
E quem sabe um dia não irá encontrar um sapo que se transformará num belo príncipe?!

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

ÀS VEZES DÁ VONTADE DE CHORAR

Às vezes dá vontade de chorar. Eu sei. Já me senti assim algumas vezes… Conheço essa vontade incontrolável de chorar um choro com ou sem sentido ou apenas solidário só por ver alguém chorar…
Às vezes dá vontade de chorar e a gente interroga-se, qual o motivo? Um pensamento, uma má notícia, uma dor física ou sabe-se lá o quê…
Se tiver vontade de chorar, chore, grite se for preciso, parta a louça toda (há mais à venda) mas por favor não amarre esse sorriso irritante, desfigurado por um queixo acometido daquele tremor nervoso à força de conter o pranto…
Às vezes dá vontade de chorar. Se tal acontecer, chore, grite, arranhe, parta a louça, mas chore tudo de uma vez. Não arraste esse choro por horas a fio, dias, meses ou anos.
Se tiver vontade de chorar, chore mas depois erga bem alto a cabeça, olhe-se no espelho e ensaie aquele sorriso que tão bem lhe fica, aquele que um dia alguém lhe disse ser o mais bonito… Esse mesmo. 

domingo, 1 de novembro de 2015

JANTAR NA CASA DA MÚSICA

Gosto de jantar fora e um pouco menos de almoçar mas isso implica a existência de uma componente social, isto é, a companhia de amigos seja em que número for. Jantar ou almoçar sozinho ou apenas o casal, para mim não é “jantar fora”, é comer fora de casa o que não é bem a mesma coisa.
Este sábado fomos efectivamente jantar fora na companhia de amigos. Gosto deste género de amigos que nos desafiam a sair da nossa zona de conforto e vivenciar novas experiências. O local seleccionado pelos nossos amigos foi o restaurante da Casa da Música onde é possível apreciar uma cozinha com assinatura do chef Artur Gomes a preços convidativos. Preço médio à carta  (entrada + prato ou prato + sobremesa) 25€ (bebidas não incluídas).
O restaurante tem como opções o menu do dia, menu à la carte ou menu jantar + concerto. Recomendo para quem gosta da cozinha gourmet. Ambiente calma e sofisticado com excelente atendimento por profissionais competentes.

Embora o restaurante tenha capacidade para 220 pessoas sentadas ou 400 em pé, é conveniente fazer sempre a reserva com antecedência.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...