Etiquetas

sexta-feira, 25 de maio de 2018

DEITANDO OS OLHINHOS... AOS OLHARAPOS


A brincar a brincar, é uma força de expressão, já passaram 20 anos sem que tivéssemos disso plena consciência. Durante esse tempo tudo ou nada aconteceu, umas vezes com a nossa intervenção outras sem que disso tivéssemos um controlo absoluto.
Recordo como se fosse hoje e não é uma força de expressão, os dias em que por ali andei levando pela mão os meus dois pequenitos. Lembro-me do recinto destinado aos picnics, da água sempre presente nos “vulcões” ou na queda d´água que atravessámos no seu interior, do pavilhão da água onde enjoei, as sessões sobre diversos temas em que uma mãozinha apertou a minha com mais força e que deixei de ver só para lhe fazer companhia… Fez na passada terça-feira 20 anos que se inaugurou a Expo98 e no entanto recordo tudo está presente como se fosse hoje.
Considero um feliz reencontro o regresso dos olharapos cuja memória já não estava muito presente. Os olharapos da autoria de dois ingleses foram realizados com a preciosa ajuda dos alunos de Belas Artes, desfilavam por todo recinto da feira. Eram uma espécie de “monstros” sobre rodas que assustavam os mais pequenos e não só… Nessa altura, o meu senso de humor não me permitia interagir como devia com esses simpáticos monstros. Foi uma agradável surpresa a notícia de que os olharapos iriam deambular pelo o mesmo recinto para animação do público visitante no intervalo das sessões.
Passaram-se 20 anos mas Lisboa nunca mais será a mesma. Naquele recinto subaproveitado nasceu o maior oceanário do mundo, a ainda moderna gare de transportes do Oriente, a extensão do metropolitano, o funicular, a pala sobre o pavilhão de Portugal e muitos mais eventos difíceis de enumerar.
Durante todo o tempo que durarem as celebrações, o adejar das bandeiras testemunhará a universalidade deste evento e isso é que importa.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

A CASA QUE NÃO SE VÊ


Passei por ali vezes sem conta quer a caminho de casa, quer do café onde fingia estudar e nunca reparei que havia uma casa entre as duas igrejas! Foi preciso um cartaz feito para turista ver para reparar naquela casa escondida até então. Nunca me apercebi que entre as duas igrejas existia uma casa que rivalizava com as casas mais estreitas desta cidade. Falo obviamente das igrejas do Carmo e das Carmelitas e do café onde fingia estudar, mais conhecido por “Piolho”, sabe-se lá porquê…
A construção das duas igrejas que remonta aos séculos XVI e XVII só foi possível graças a aprovação do Vaticano. Naquela época, era proibido pelo Vaticano a construção de duas igrejas lado a lado, por isso se justifica a existência dessa pequena casa entre as duas igrejas.
Esta casa ficou célebre não só por ter acolhido importantes capelães mas também por se realizarem nela reuniões ultrassecretas desde o tempo das Invasões Francesas até ao Liberalismo passando pela Proclamação da República…
Eu que por ali passei vezes sem conta nunca me apercebi que existia a tal casa… não há dúvida bem escondida! Foi preciso esbarrar em sentido figurado, com o tal cartaz para me aperceber que existia uma casa entre as duas igrejas.

terça-feira, 22 de maio de 2018

À CONVERSA COM DEUS


O meu gosto por viajar é sobejamente conhecido pelas razões já apontadas. Desta vez, em direcção ao Alentejo profundo com uma breve paragem para almoçar, aconteceu o que há muito temia. Para o efeito, com o meu espírito prático e contagiante parámos num  posto de abastecimento da autoestrada. Do almoço constava uma sandes de fiambre e queijo. Tudo bem se não fosse a placa partir-se ao tentar mastigar aquela sandes tão apetitosa. Num repente passaram por mim todos os internamentos bem como todos os problemas de saúde já ultrapassados (?) e ouvi no meu ronco surdo que dizia o já clássico “Porquê eu?”, “Porquê a mim?”
Entre outros impropérios recordo-me de achar que Deus nem dormia de noite só a pensar no mal que me faria a seguir. Como se Deus precisasse de dormir…!
Ou será que dorme? Às vezes parece que dorme…
Será que nesse meio etéreo em que se desloca existe noite? Eis a dúvida que sempre me assalta.
Não sei, nem me perguntem sequer pois não saberia o que responder.
Felizmente foi só um dente que se partiu e assim não meto medo a ninguém.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

VEGETARIANO OU VEGANO ?


Por ter constatado que há uma certa confusão entre vegetarianismo e veganismo, peguei neste tema que vou dissecar em breves palavras, prometo. Embora com muito em comum por se tratar de duas opções alimentares, existem inúmeras diferenças entre estes termos. Enquanto os vegetarianos não aceitam carne e peixe na alimentação, admitem os ovos e todo o género de lacticínios e até o mel como fazendo parte da sua alimentação.
Quanto aos veganos, esta exclusão não se esgota à mesa, estende-se ao mundo dos vestuário, do calçado e mesmo da higiene pessoal como a do próprio lar. Em suma, excluem tudo que tenha origem animal e vão mais longe ao excluir qualquer produto que tenha sido testado em animais…
Posto isto, não é nada fácil ser vegano a 100%, isto é, torna-se difícil avaliar o que foi ou não foi testado em animais… O problema também se põe em saber onde comer ou comprar produtos que sejam 100% vegano.
Na minha opinião, considero os veganos mais radicais do que os vegetarianos, razão pela qual me inclino mais para a segunda opção. Sinto-me mais vegetariano do que vegano… no entanto, quando se atropelam os direitos das animais, pendo mais para o lado dos veganos.

domingo, 20 de maio de 2018

OS FANTASMAS QUE NOS ESPREITAM


Todos convivemos com fantasmas durante a vida e quem pensa o contrário, está redondamente enganado. Os fantasmas estão por todo o lado, não adianta fugir-lhe, eles acompanham-nos desde o tempo de criança. Não são necessariamente desses fantasmas mauzões que está a imaginar, até podem ser bonzinhos mas nem por isso deixam de ser fantasmas. Uns vieram desde tenra idade podendo manifestar-se apenas de tempos a tempos, outros chegaram mais tarde e seguem-nos por todo o lado e outros ainda estão escondidos nos armários que desde sempre nos acompanham…
Coitado do quem julga que não transporta nenhum destes fantasmas! Uma das duas opções prevalece, ou não se conhece muito bem ou ainda não se deteve a fazer uma análise demorada e séria do próprio EU.
Uns ou outros, os fantasmas acompanham todos os nossos passos, apesar de do pleno conhecimento de onde e para onde se caminha. Embora pareça um paradoxo, é possível conhecer o caminho mas desconhecer-se a estrada que nos conduz até lá.
Quem me leva os meus fantasmas?
Quem me salva desta espada?
Quem me diz onde é a estrada?

sexta-feira, 18 de maio de 2018

O DIESEL TEM OS DIAS CONTADOS ?


A notícia apanhou-me desprevenido como se um par de chapadas me dessem em plena face. Não foi imediata nem pacífica a mudança dos veículos movidos a gasolina para os chamados diesel. Diziam que eram mais lentos no arranque, que não davam a mesma performance durante o percurso, que se sentia muito a vibração própria destes motores… e tudo me servia de pretexto para os excluir da minha lista de preferências na hora de trocar de veículo.
Por fim lá aderi aos motores a diesel mais por uma questão económica do que por outra razão qualquer.  Note-se que o gasóleo continua a ser mais barato do que a gasolina.
Eliminados que foram os principais inconvenientes das motorizações a diesel eis-me a conduzir este tipo de carros convencido que pouco contribuía para a poluição do planeta. Devo dizer que actualmente possuo ainda um automóvel movido a gasóleo assim como alguns dos veículos anteriores.
Estudos recentes vieram alertar para a necessidade de terminar com este tipo de motorização até 2015… Como muitos outros fui apanhado de surpresa no conceito de contribuir minimamente para a poluição mundial. Verificou-se que todos os automóveis diesel emitiam partículas nocivas, os chamados NOx, tanto para a saúde como para o meio ambiente. Agora compreendo a “febre” dos fabricantes de automóveis, principalmente os orientais, de se debruçarem sobre os modelos híbridos ou puramente elétricos enquanto a velha Europa estava mais preocupava em “apurar” a tecnologia diesel, diga-se com resultados algumas vezes surpreendentes…
Não convém esquecer que a nova norma para reduzir as emissões poluentes entra em vigor já em Setembro do próximo ano… Data em que os fabricantes se comprometeram a reduzir a emissão dessas partículas o que explica muito do que aqui foi dito e que se diz por aí..
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...